Alma e Espírito


31/12/2010


NDM - 11

 

 

 

 Estudos da D. E.


 

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

 

 

Estudo Sequenciado - Parte 11

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Causa e Efeito

 

 

 

       

A morte da vestimenta de carne é certeza para todos  os encarnados, porém não propiciemos que seja prematuramente.

 

A maior surpresa da morte carnal, é a de nos colocarmos face a face com a própria consciência, onde edificamos o céu, estacionamos no purgatório ou nos precipitamos no abismo infernal; a Terra é oficina sagrada, e que ninguém a menosprezará sem conhecer o preço do terrível engano a que se submeteu o próprio coração.

Guarde a experiência dele no livro da alma. Ela diz bem alto que não basta à criatura apegar-se à existência humana, mas precisa saber aproveitá-la dignamente; que os passos do cristão, em qualquer escola religiosa, devem dirigir-se verdadeiramente ao Cristo, e que, em nosso campo doutrinário, precisamos em verdade, do Espiritismo e do Espiritualismo, mas, muito mais, de Espiritualidade.

 

Emmanuel - Pedro Leopoldo  M.G. 03 de Outubro de 1943

 

    

 

 

      

 

Aqui, desentrançadas da matéria densa, aportam milhões de pessoas, batidas pelo remorso e pelo arrependimento, padecendo frustrações lamentáveis, quando não estacionam por tempo mais ou menos longo em furnas expiatórias, nas quais, presas de antigos adversários ou de velhos comparsas do vício, sofrem tristes alterações em seus centros de força, a se lhes expressarem na mente por desequilíbrios funestos. Depois de acolhidas em nosso pouso de amor, refazem-se pouco a pouco...

 

André Luíz

 

André Luiz

 

 

 

             

                                                 André Luiz

 

Considerado um dos maiores autores espirituais de todos os tempos.

Seu legado, contribuiu com a codificação da própria Doutrina Espírita, trazendo-nos mais detalhes sobre a vida após a morte.

Psicografados por Chico Xavier, seus livros foram traduzidos para vários idiomas, conseguintemente com um longo alcance.

Sua obra inovadora, causou mesmo dúvidas sobre a autenticidade nas épocas de lançamento, devido ao uso de uma linguagem rica em detalhes, na descrição aos encarnados, do que ocorre no mundo espiritual, quanto atambém rica, profunda, específica e gramaticalmente falando.

Considerado inovador, observa-se que sempre foi fiel aos postulados de Kardec no concernente à  jóia de inestimável valor, "O Pentateuco Kardequiano", presenteada ao mundo pela mediunidade do ilustríssimo professor; Leon Denizard Hipolitè Rivail que adotou o pseudônimo de Kardec, alíás, nome de reencarnação pretérita na Gália, como druída. 

André Luiz, passou aos leitores encarnados a importância do Espiritismo, da caridade e da Lei de Causa e Efeito já evidenciados por Kardec, e principalmente uma descrição minuciosa da organização do mundo espiritual em colônias de estudo, trabalho e as zonas intermediárias, o Umbral, revelando ao nosso mundo incauto e desconhecedor, uma realidade das atividades no além. 

Pouco se sabe sobre sua passagem na Terra. Ao ser indagado, em uma de suas manifestações, sobre quem era e qual o seu nome, adotou a denominação de André Luiz. Afirmou que o seu desejo era de ajudar, e que não poderia confundir sua missão com sua vida material. Apenas contou que foi filho de pais generosos e detentor de algumas posses, que pôde concluir seus estudos, trabalhar e formar sua família com pouco esforço.

Segundo informações de outros médiuns, foi médico sanitarista em atividade na vestimenta carnal, no começo do século XX, na cidade do Rio de Janeiro.

Estudiosos de sua obra, supõem que ele desencarnou entre 1929 e 1935, vítima de oclusão intestinal, já que em sua primeira obra; Nosso Lar, ele afirma que ficou aproximadamente oito anos nas regiões umbralinas e que soube que já era então, agosto de 1939.

 

 

       

 

 

        

 

       

 

As regiões umbralinas são uma espécie de local ideoplastizado ou seja; plasmado mentalmente, onde muitos dos recém-desencarnados se defrontam com pesadas consciências e têm a oportunidade de se reformarem.

Espíritos arrependidos destas regiões recebem, segundo informação de André Luiz, a dádiva do socorro, sendo encaminhados para colônias espirituais, verdadeiras cidades com hospitais, escolas, praças e áreas de convivência edificante.

Psicografado por Francisco Candido Xavier em 1943, o livro Nosso Lar, recebe o nome da colônia descrita por André Luiz, onde o mesmo relata toda a sua passagem pelo mundo espiritual, sua perturbação e inconformação dos primeiros tempos, bem como sua aceitação e evolução através do estudo da espiritualidade.

 

 

 

Descreve pela psicografia de Chico, a colônia, as relações de trabalho e como iniciou e aprofundou  seu estudo no mundo espiritual, e tendo tal conhecimento por conquista, além de evidenciar-nos os locais por onde passou e sua ajuda aos encarnados e desencarnados.

Especula-se pela junção dos dados e informações existentes, que ele tenha sido o sanitarista brasileiro de renome; Carlos Chagas.

 

 

                           

 

                                    

                        Carlos Justiniano Ribeiro Chagas ( 1879 - 1934 )

                A personalidade mais próxima para cujos estudos apontam

                                e traços fisionômicos se assemelham.

 

 

 

"O Umbral começa na crosta terrestre. É a zona obscura de quantos no mundo não se resolveram a atravessar as portas dos deveres sagrados, a fim de cumpri-los, demorando-se no vale da indecisão ou no pântano dos erros numerosos."

 

É preciso informar a todos os nossos irmãos, em vias de retorno ao círculo dos homens, que o corpo carnal, com as tarefas que lhe são consequentes, vale por verdadeiro prêmio da Bondade Divina, que é necessário valorizar.

 

André Luíz

 

 

     

 

 

 

 

Escrito por corujart às 13h59
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

27/12/2010


NDM - 10

 

 

 Estudos da D. E.


 

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

 

 

Estudo Sequenciado - Parte 10

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

    

Conclusão

 (do livro Iniciação à Metafísica)

 

 

 

O Homem, ou o corpo carnal do Homem, é um veículo que se vê impulsionado pelo Espírito, Alma, Eu Maior, etc, que é o controlador, o dirigente do corpo.

A união do Espírito com a matéria, é nescessária para que ocorram experimentações, progressões, intelectualizações e evoluções de ambas as partes, visto que morta a matéria, seus constituintes são devolvidos à mãe Terra, porém sua parte extra-física, segue caminhos que por enquanto desconhecemos, porém conjecturamos.

O cérebro do ser humano, representa uma estação de relé, um centro telefônico , uma fábrica completamente automatizada.

Recebe mensagens do corpo e do Espírito, e via nervos aferentes e eferentes converte ordens em atividade química ou atividade física, mantem o veículo vivo, faz com que os músculos trabalhem e causam certos processos mentais, registram mensagens e impressões das experiências vividas e adquiridas e foge o Espírito através do sono, às limitações do corpo como quando um motorista estaciona seu automóvel e sai pelas cercanias, devido a um acontecimento chamado sonho.

Assim quando adormecido, o Homem pode ver o Mundo Maior do Espírito e avaliar as lições apreendidas, enquanto se acha temporariamente encerrado na carne, podendo viajar a lugares distantes em tempo e espaço, num piscar de olhos, compreendendo que o pensamento está no lugar onde se ordena que ele esteja, até mesmo pelo móvel das preocupações e inclinações quotidianas, e que pelos relatos das E.Q.Ms. ( Experiência de Quase Morte), é perigoso possuir sem saber usar.

O chão que nos foi fornecido para o bom plantio, se porventura plantamos espinhos, reflitamos na oportunidade do conhecimento pelo sofrimento, que ainda nos é possível rearar e plantar conscienciosamente sementes que floresçam e frutifiquem para a apoteose, jamais o plantio para o holocausto.

 

  

 

 

(*)Assim, trouxe para ilustração,  alguns capítulos do pequeno livro Iniciação à Metafísica editado em  Abril 1979 BHte. - Tiragem limitada - Produção independente.

Apontamentos que pude observar e concantenar um ano antes do meu ingresso aos estudos pertinentes à Doutrina dos Espíritos.

Com certeza não foi ao acaso e agradeço a Deus tal oportunidade, compreensão e inclinação neste sentido.

Aqueles que desejarem lê-lo na íntegra, façam contato:

 

corujart@bol.com.br

 

Escrito por corujart às 23h47
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Histórico