Alma e Espírito


01/01/2016


NDM - 45

 

 

 

 

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 45

              Renato Gomes de Oliveira

  

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

                               Em visitando este BLOG

 

                  Sempre que possível, deixem comentários.

 

 

 

 

Sugerimos apreciar sequenciadamente

à partir da postagem NDM-1.

 

 

 

Visitem também o BLOG:

 http://almaeespirito1.zip.net/ 

 Clique Neste Link

 

Mas não deixem de apreciar as 44 postagens abaixo.

 

 

 

 

 

 

     

 

Para um melhor entendimento dos assuntos abordados, e os quais não fecham questão, sugerimos um estudo sequenciado, à partir da primeira postagem 29/08/2010 a 04/09/2010 ou NDM - 1 .

 

 

 

 

 

 

 

 

     xxxxxxx.

    

 

 

 

 

                        Centro Espírita Emmanuel

 

 

Relembrando o 57º aniversário do Centro Espírita Emmanuel no ano de 2015...

 

           

 

            

 

            

 

            

 

            

 

           

 

Convidamos aos profitentes e simpatizantes, para o 58º aniversário  que será comemorado às 18:00 hs. do dia 09 de Janeiro de 2016, Sábado, à Rua São Paulo nº684, sala 109 bloco B, Edifício Vila Rica em Belo Horizonte Minas Gerais, desde já, ensejando a todos um próspero, feliz e fraternal Ano Novo com Jesus.

 

 

 

 

Escrito por corujart às 21h27
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

06/08/2015


NDM - 44



 

 

 

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 44

              Renato Gomes de Oliveira

  

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

                        

 

Mas não deixem de apreciar as 43 postagens abaixo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                    

                                 Ante o Serviço - IV

 

 

 

  

 

 

  

     xxxxxxx.

 

 

 

Escrito por corujart às 17h53
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

12/12/2014


NDM - 43

 

 

 

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 43

              Renato Gomes de Oliveira

  

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                 Ante o Serviço - III

 

  

 

O médium encarnado, é o interprete dos pensamentos dos Espíritos e quando nos assentamos em torno de uma mesa para uma reunião mediúnica, é preciso que estejamos sem exceção, pensando, vibrando, externando o carinho e o desejo de fazer o melhor em prol de todos.

É preciso que tenhamos disposição para o serviço, conhecimento e condições para a atividade mediúnica, boa vontade, disciplina, perseverança, amor aos sofredores, capacidade de renúncia, espírito de equipe e afinidade dentre outros predicados.

 

                                  

 

 

Áulus, diante de um dos questionamentos de Hilário, responde que a palavra desempenha importante papel na construção do Espírito. Sermões e conferências de sacerdotes e doutrinadores, em variados setores da fé, sempre que inspirados no Infinito Bem, guardam o objetivo da elevação moral.


                                           

 

 

Entidades malévolas, dificilmente adentram numa  Casa Espírita que tenha um padrão vibratório nobre, a menos que sejam convidadas, conduzidas, porque as defesas impedem que tais espíritos rompam as barreiras magnéticas do recinto.

Quando uma pessoa se adentra numa Casa Espírita séria, o faz sem o perseguidor.

Deve portanto acompanhar as elucidações e explanações do orador, palestrante, divulgador, doutrinador, enfim, observar e meditar a respeito das lições ministradas e propor-se a aplicá-las no quotidiano da vida.

Se por viciação mental continua com os mesmos clichês que trouxe lá de fora, estará dentro da Casa Espírita, porém ligado aos Espíritos com os quais se afiniza, mantendo apenas vinculação hipnótica, telepática, com a ocorrência de pensamentos de teor vibratório muito baixos, numa faixa vibratória negativa sintonizado com entidades inditosas, portanto semelhantes.

O auxílio é sempre obsequiado a todos, encarnados e desencarnados, porém dependente do grau de receptividade de cada um ou de completa refratariedade sabemos que transitória e não eterna dos envolvidos.

 

 

         

 

As pessoas quando vão a uma Casa Espírita, nem sempre se conportam atentos.

Em primeiro plano, aquele que dorme profundamente, está sob influência.

O Espírito que o influencia, não gosta que ele vá ao centro para esclarecer-se pois sabe que o esclarecimento o libertará de seu domínio.

Ele não entrou, mas há uma ligação entre eles por pensamento, como se fosse um jato escuro dirigido do desencarnado para o encarnado.

O obsessor não conseguiu entrar na Casa Espírita, mas do lado de fora ele hipnotiza à distância seu companheiro encarnado e o espera.

Entendamos então, quando um indivíduo não se esclarece e se modifica com tais esclarecimentos, ele é sempre responsável pelas ocorrências obsessivas, resultadas do hábito mental.

Cada um, faz da sua vida, um holocáusto ou uma apoteose.

Já  nos exortava o Divino Amigo: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará"!

 

 

         


Na mente daqueles que assistem a palestra, os pensamentos estão sendo trabalhados e, as idéias do orador, colocadas, acabam levando conhecimentos a todos os presentes, que diante de nova maneira de ver, refletem e, comprometem-se consigo mesmo a modificar e rever atitudes, doravante com mais educação, respeito  e fraternismo.

A jovem em questão, atenta à palestra, quando ouviu uma referência evangélica sobre o respeito e o desrespeito, imediatamente lembrou-se de uma situação de atrito recentemente vivida entre ela e sua mãe, propôs a si mesma, quando chegasse em casa, pedir desculpas e reconciliar-se prontamente.

Na maioria das vezes, muitos de nós necessitamos apenas de ouvir alguém que nos proporcione uma reflexão de minuto, para que tenhamos motivação para mudanças comportamentais em acordo com a proposta de Jesus.

 

        

 

Encarnada presente à reunião, visivelmente doente sendo observada pelos prepostos do Cristo que discutem como melhor poderão auxiliá-la uma vez que sua postura mental, abriu campo para isto.

 

 

    

 

Encarnado presente fisicamente à reunião, porém mentalmente ausente da reunião estando preocupado apenasmente com seus ganhos diários.

Assim procedendo, tornou-se refratário a qualquer tipo de atendimento ou auxílio. 

 

 

 

 

  

 

 

 

                             


        As atividades mediúnicas apresentam muitas dificuldades, sobretudo para aqueles que se lançam a elas sem o necessário aprendizado.

 

Eduardo - Comunicação entre dois mundos 

 

 

 

Escrito por corujart às 12h00
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

16/05/2013


NDM - 42

 

 

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 42

              Renato Gomes de Oliveira

  

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

                    

                                 Ante o Serviço - II

 

 

                                   

                                       Mário Quintana (1906-1994)

 

           Quando observamos a conhecida frase de Mário Quintana: "O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você", percebemos em nossa vida que a ocorrência de borboletas e maripôsas têm ficado mais raras, porém mais coesas entre si.

Em tempos passados e não muito distante, viam-se borboletas e maripôsas, de todos os tamanhos e cores, e muitas quando voavam, o faziam em silêncio e delicadeza, outras estalavam suas asas, enunciando sua chegada.

Mas afinal o que aconteceu com as borboletas e as maripôsas que não as vemos mais, ruidosas ou com sutil levesa voejarem ?!  Será a presença do temido "Bicho Homem" ?!

Será que todos entendemos o outro significado do que nos quiz dizer o referido autor, o que ele quiz dizer além de simplesmente palavras ?

Fato é que todos amam borboletas e maripôsas coloridas, esvoaçantes, mesmo as menos coloridas e as menos bonitas, pois sabem que na sua maioria, são seres inofensivos, indefesos e belos, que enfeitam qualquer jardim bem folhado ou florido, mas que se esquecem ou ignoram de onde elas vêem.

 

  

 

Antes de ser uma borboleta ou uma maripôsa, obrigatoriamente há, pela evolução da espécie, a mecessidade de se ser lagarta.

Por vezes horrorosas, algumas agressivas, quase que na sua totalidade venenosas, outras temidas e mesmo odiadas.

Se alimentam de folhas e flores e, dependendo da quantidade e da voracidade, transformam os jardins em verdadeiros desertos.

Ninguém quer que lagartas estejam permanentemente em seu jardim, principalmente pelas agudíssimas dores e graves queimaduras que provocam em quem as tocar, ou por elas forem tocadas.

Do modo ou maneira de como cuidamos do jardim, ou do tipo da vegetação que ali cultivamos ou que ali permitimos,  é que aporta esta ou aquela espécime afim. Por isto é importante sabermos o que cultivar e como cultivar por que diretamente ligado a este proceder, está o que será atraído. Observamos assim, a importância do entendimento de que não devemos correr atrás de qualquer maripôsa ou borboleta, se não estivermos habilitados para lidar com os estágios evolutivos das espécimes e, se não nos precautarmos contra uma possível invasão das mesmas e prováveis acidentes.

Façamos, proporcionemos ou deixemos que elas venham até nós, ou ao nosso jardim, controladamente, implicando este imperativo, a certeza de que nos encontrarão habilitados como bons, entendidos e dedicados jardineiros.


 

                       Cuidemos para que nossa luz não seja treva,

 

Geralmente, borboletas e principalmente mariposas, parecem ter grande fascínio pela luz, por isso a comparação de Andre Luiz na afirmativa de que: "Dir-se-ia que se aglomeravam em derredor dos amigos encarnados em prece, quais mariposas incoscientes rodeando grande luz." , " vinham bulhentas, proferindo frases desconexas ou exclamações menos edificantes..."


       

                   Hylesia sp. Saturnídeo, inseto venenoso

 

A maioria dos acidentes, acontece com as lagartas (fase larval), porém, devemos tomar cuidado com espécimes de maripôsas (fase adulta), principalmente aquelas que quando pousadas, suas asas tomam o aspecto de um telhado. Acidentes nestes casos, ocorrem, devido ao fato de que quando voando juntas, ao se chocarem umas com as outras, e mesmo pelo movimento das asas e corpo, liberam pequenos flocos de pelos, contendo minúsculas "setas" que em contato com a pele humana, causam várias irritações no local atingido e, à distância, dores de cabeça, nauseas, vômitos, sangramentos na pele, gengivas, na urina, parada renal, pequenos ferimentos no nariz, e algumas vezes, coma e morte.

Portanto ao perceber maripôsas voando em grupos ou em derredor de lâmpadas, não permaneçam debaixo delas.

É importante ressaltar que a prevenção ainda é o melhor remédio contra acidentes de qualquer natureza. Assim, ao colher frutas, hortaliças, lenha ou estando em ambientes com vegetações, observe bem o local, troncos, folhas, gravetos, etc., antes de manuseá-los e mesmo passando por perto de gramíneas, arbustos e árvores.


 

Mas o que tem isso com a D.E. ?

 

Paralelo para que o médium saiba que sua posição, é deveras delicada. Ele está sempre no meio das trevas procurando fazer luz e,  que não adianta sentar-se à mesa, apenas com a vontade de servir. Sem conhecimento e sem educação mediúnica, não resta dúvida, ainda se esquecido da instrução com Cristo, consequências advirão da falta de habilidade e capacitação para fazer o melhor.

 

 

              

                                   cuidado com a camuflagem


Não viciar-se em ouvir constantemente os desencarnados, sem maior consideração para com os ensinamentos da própria doutrina. Aprender a observar e saber, que se a Luz está ausente, a treva está presente.

 

  

 

 

  

     Convite aos academicos e graduados que objetivam especialização.

 

 

 

 

Escrito por corujart às 09h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

11/04/2013


NDM - 41

 

 

 

 

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 41

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                   

                                 Ante o Serviço - I

 

                          

 

 

Referindo-se aos encarnados, o autor espiritual nos informa:

 

  


-Leve chamamento à porta provocou a saída de um dos companheiros da atitude de meditação para atender.

-Dois enfermos, uma senhora jovem e um cavalheiro idoso, custodiados por dois familiares, transpuseram o umbral, localizando-se num dos ângulos da sala, fora do círculo magnético.

-São doentes a serem beneficiados __Informou-nos o orientador.

 

Sem rodeios, André Luiz nos coloca a refletir que: antes que a reunião haja começado " pelos encarnados" , os participantes da mesma já se encontravam no recinto, preenchendo o quesito pontualidade. E que também não se encontravam com pensamentos avoengos, mas em atitude de meditação ou prece.


Em conformidade com o capítulo 14 do livro Desobsessão, temos que:

          


Aconselhável se feche disciplinarmente a porta de entrada, 15 minutos antes do horário marcado para a abertura da reunião...


Retornando ao capítulo 4 do mesmo livro;

Pelo menos durante alguns minutos, horas antes dos trabalhos, seja qual for a posição que ocupe no conjunto, dedique-se o companheiro de serviço à prece e meditação em seu próprio lar. Ligue as tomadas do pensamento para o alto. Retire-se em espírito, das vulgaridades do terra-a-terra, e ore, buscando a inspiração da Vida Maior.

 

    

 

Reflita que, em breve tempo, estará em contato assistido, embora ligeiro, com os irmãos domiciliados no Mundo Espiritual, para onde irá um dia, e antecipe o cultivo da simpatia e do respeito, da compaixão e da bondade operosa para com todos aqueles que perderam o corpo físico sem a desejada maturação espiritual.

Dessa forma, estará caminhando para a colaboração digna com os benfeitores desencarnados que são os legítimos ministradores do bem.

 

          

 

Muita vez, nos pegamos assim, conforme o quadro acima, previamente ou posteriormente à uma reunião mediúnica, o que não condiz com a orientação dada e a ser seguida.

Então nós que nos dizemos espíritas, quebrando um sério protocolo, preguiçosos no entendimento e no estudo, sem a mínima  instrução, o que estamos fazendo à nós e aos outros?!!!

 

Aquele de nós, encarnado que conhece da instruçao e da nescessidade da sua aplicabilidade, não deve fazer vistas grossas, receoso de que haja melindres. A prioridade é re-instruir e re-educar!

 

Naturalmente quanto aos dois enfermos, acompanhados por dois familiares, ali compareciam com alguma permissão ou por alguma solicitude deferida igualmente prévia.

 

__Transpuseram o Umbral.

Este Umbral aqui citado, não se trata de região Umbralina, mas citado conforme o significado primário do termo de etmologia espanhola, que é o nome da pedra que se coloca na parte de baixo de uma porta. Pedra esta com a mesma largura da porta, para funcionar no nível do piso, como demarcação de separação entre dois ambientes. Esta pedra pode ainda segundo a língua portuguesa, ser chamada de umbreira ou soleira, e o local que ela ocupa, ou seja, a passagem entre os dois ambientes; de Umbral, também tendo o conotativo de entrada.

 

            

                                       Umbral


Portanto, é imperioso que leiamos com entendimento do contexto da palavra na frase.

 

Relativamente ao Umbral, No livro Nosso Lar, temos um capítulo com o título "O Umbral".

É zona obscura de quantos no mundo não se resolveram a atravessar as portas dos deveres sagrados, a fim de cumprí-los, demorando-se no vale da indecisão ou no pântano dos erros numerosos... É a região de profundo interesse para quem está na Terra. Concentra-se aí, tudo o que não tem finalidade para a vida superior...

 

          

                                       Umbral

 

                    

Plano reencarnacionista de SHAMBHU TATMA, cuja causa certamente está em precedente encarnação


 

Observamos o que foi dito quanto aos enfermos encarnados: Situaram-se num dos ângulos da sala, fora do círculo magnético.

 

Numa sala de reunião mediúnica, tanto quanto num salão direcionado à reuniões públicas, são tecidos magneticamente cinturões de energia, previamente às mesmas reuniões, pelos responsáveis desencarnados pelo trabalho em pauta, e que delimitam acesso à estes ou àqueloutros partícipes, encarnados ou desencarnados, distribuidos por faixas, evitando situações indesejáveis.

Relativamente ao Umbral, no livro Nosso Lar, temos um capítulo com o título "O Umbral",

 

O Espírito Manoel Philomeno de Miranda registra no livro Nas Fronteiras da Loucura, cap 17, que a equipe espiritual da reunião mediúnica, "tem uma preparação antecipada de até 40 horas, quando são trazidos os participantes desencarnados ou psiquicamente se faz a sincronia fluidica dos mesmos com os médiuns que os irão mediunizar".

O Espírito André Luiz, no livro Os Mensageiros, esclarece que "para disseminar as Luzes Evangélicas aos desencarnados, são precisas providências variadas e complexas, sem o que, tudo redundaria em aumento de perturbações". Reporta-nos que várias providências antecipadas operadas pelos  Benfeitores Espirituais, como a divisão do local em longas faixas fluidicas, verdadeiras divisões magnéticas, a impregnação da atmosfera de elementos espirituais saturados de valores positivos, seleção dos Espíritos que serão admitidos nos trabalhos mediunicos, etc., é labor que ocorre antes do início da reunião propriamente dita.

O Espírito Otília Gonçalves, na obra Além da Morte, descreve-nos a execução da assepsia mental do recinto, até a colocação de aparelhagem fluidica em várias posições. Esclarece que embora a reunião começasse às 20 horas, "às 18 horas, a azáfama era grande" relativamente às providências antecipadas da preparação. Às 19 horas, reporta-se ela ao encaminhamento ao recinto, das Entidades sofredoras e atribuladas que se juntavam às que se encontravam alí, desde a véspera.

 

     

 

Assim, prossegue André Luiz;


__Logo após, um colaborador de nosso plano franqueou acesso a numerosas entidades sofredoras e perturbadas, que se postaram diante da assembléia formando legião.

Nehuma delas vinha até nós constrangidamente.

 

                


Todos os participantes de uma reunião mediúnica, sejam encarnados presentes ou encarnados em desdobramento tanto quanto desencarnados e, seja a reunião pública ou privativa, à ela comparecem após prévios entendimentos. Ninguém comparece sem que solicite ou sem que seja convidado. Ninguém comparece forçadamente ou obrigado por quem quer que seja. E à uma reunião mediúnica privativa, ninguém comparece simplesmente porque quer.

 


   

 

Espíritos que atendidos em uma reunião mediúnica, se dizem amarrados, acorrentados, amordaçados, nada mais sentem, do que a influência moral do médium que os impede de fazerem, dizerem, ou agirem conforme queiram a seu bel prazer.

 

 

  

 

 

 

         

 

Lembremo-nos do que disse Emmanuel: "__ Todo conhecimento é para o bem, apenas seu uso é que direcionamos para o bem ou para o mal, contudo não nos esqueçamos; reencarnação vem aí !"

 

Lembremo-nos de Chico Xavier que nos disse: "__Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim."

 

 

 

 

Escrito por corujart às 18h03
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

12/12/2012


NDM - 40

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 40

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

                    

                          Equipagem Mediúnica - X


 

 

Dos colaboradores da reunião mediúnica ( encarnados )

 

 

 

 Um assunto de extremada importância

 

 

 -Médium Clarividente... Vidente

 

 

Clarividência/Vidência:

 

Faculdade anímica ou mediúnica que permite a uma pessoa perceber imagens da vida espiritual e mesmo da vida corpórea, independente do tempo e da distância.

 

   

 

 

Há uma vertente didática que divide:

 

- Médiuns  videntes: São aqueles capazes de ver Espíritos em estado de vigília no momento presente.

 

- Médiuns Clarividentes: São aqueles capazes de ver fatos que acontecem no presente, aconteceram no passado e o que ocorrerá no futuro, tomam conhecimento de multiplanos no geral e/ou outros planos espirituais separadamente. Precognição, retrocognição e visão à distância.

 

Contudo, a chave da distinção entre clarividência e vidência mediúnicas, encontrada na obra Kardequiana, reside na extensão ou profundidade do transe mediúnico.  

 

                    

 

 

 

 

  

 

 

 

 

Allan Kardec e vários benfeitores espirituais, nos orientam que, no desenvolvimento mediúnico, temos que vencer três etapas: Intelectual, material e moral.

 

Etapa Intelectual - Representada pela necessidade do estudo.

O estudo preliminar da teoria, é indispensável, se quisermos evitar inconvenientes inseparáveis da inexperiência. 

O estudo da faculdade mediúnica e o conhecimento da Doutrina Espírita, são bases essenciais e indispensáveis.

Etapa Material - É o adestramento, uma forma de treinamento da faculdade mediúnica, uma familiarização com as técnicas envolvidas no processo da mediunidade.

Etapa Moral - A mediunidade, é uma iniciação de cunho religioso das mais sérias e deve ser fielmente desempenhada a partir da concientização dos ensinamentos da Doutrina Espírita, e deve-se desde o início do aprendizado,  esforçar-se para ser um espírita-cristão.

Somente nossa evolução moral, atrelado ao conhecimento, nossa melhora e nosso crescimento para o bem, é que poderão garantir-nos o acessoramento dos bons Espíritos e o exercício seguro da mediunidade, por nossa sintonia com o Bem.

 

 

   

 

                                             (LM item 211)

 

 

 

 

 

 

 

Escrito por corujart às 23h49
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

23/10/2012


NDM - 39

 

 

 

 

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 39

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

                               Em visitando este BLOG

 

                  Sempre que possível, deixem comentários.

 

 

 

 

Sugerimos apreciar sequenciadamente

à partir da postagem NDM-1.

 

 

 

Visitem também o BLOG:

 http://almaeespirito1.zip.net/ 

 Clique Neste Link

 

Mas não deixem de apreciar as 38 postagens abaixo.

 

 

 

 

 

 

                     Equipagem Mediúnica - IX


 

 

Dos colaboradores da reunião mediúnica ( encarnados )

 

 

 

 Um assunto de extremada importância

 

 

 

-Médium de Efeitos Físicos

 

É aquele apto à produção de fenomenos que sensibilizam objetivamente os nossos sentidos,tais como : o movimento de corpos inertes, a produção de ruídos, etc.

Trata-se de uma categoria de médiuns bastante infrequentes  em nossos dias, mas que teve fundamental importância na fase de implantação da Dourina Espírita.

Podem ser:


  Tiptólogos: Médiuns que contribuem para a produção de ruídos e pancadas.

Os Espíritos se utilizam dos recursos fluidicos dos médiuns com estas faculdades mesmo que o(os) médiun(s) não tenha(m) conhecimento, para produzirem o fenômeno.

 

          


    Motores: Os que produzem o movimento de corpos inertes.

 

        

 

      


   De translação ou suspensão: Os que produzem a translação de objetos através do espaço ou a sua suspensão, sem qualquer ponto de apôio. Há também os que podem elevar-se a si mesmos; Levitação.

 

                

Fenômeno de levitação de Daniel Dunglas Home retratado pelos pesquisadores Arthur Conan Doyle, Willian Krooke, e Kardec, que muitas vezes assumiu a defesa da honestidade do médium contra o ataque raivoso dos contraditores.


  De transporte : Os que podem servir aos Espíritos, para o transporte de objetos materiais através de lugares fechados. Atualmente, as pesquisas estão muito longe de atingir expectativas oriundas de ficções cinematograficas, mas o teletransporte quantico já é possível, conforme previsão de Einstein.

 

   


  Pneumatógrafos: Os médiuns que doando ectoplasma, propiciam aos Espíritos escreverem sobre determinados objetos sem se utilizarem de lápis, caneta ou similar.

 

           


  Pneumatofônicos: Os médiuns que, doando ectoplasma, permitem a voz direta ou seja, os Espíritos emitem sons e palavras, através de uma "garganta ectoplásmica", sem a utilização do aparelho vocal do medianeiro.

 

         


  De materialização: Os médiuns que doam recursos fluídicos ou ectoplasma, para a materialização do Espírito ou de parte do Espírito, ou ainda, de certos objetos.

 

          

 

Para que seja possível aos Espíritos desencarnados materializarem-se, é  nescessário que se utilizem do ectoplasma projetado pelo médium, ou pelas pessoas presentes que tenham esta capacidade mediúnica. Esta substância delicadíssima, na visão dos Espíritos, é um plasma de origem psíquica que exala através do médium de efeitos físicos, e mesmo de outros médiuns. É expelido por todos os poros, mas em maior proporção pelas narinas, pela boca, pelos ouvidos, pelas pontas dos dedos e ainda pelo tórax. Importante destacar, que não é o Espírito que se materializa, e sim o ectoplasma que se adere à forma perispiritual do Espírito. Por este motivo, dentre outros, é de tamanha importância, hábitos saudáveis de vida e principalmente a boa conduta do médium, para que o ectoplasma não sofra contaminações e o trabalho possa ser desempenhado com eficiência. No Brasil, um grande médium de efeitos físicos, foi Peixotinho, cujo delegado e pesquisador R. A. Ranieri descreve, e cujas fotografias referentes à ectoplasmia, constantes do livro Materializações Luminosas, autorizadas pela enfermeira alemã Scheilla,  Francisco Candido Xavier as autentica de próprio punho.

Uma das maiores provas existenciais do Espírito que o delegado de polícia do Estado de São Paulo,em Guaratinguetá, R. A. Ranieri teve, e deixou registrado para a humanidade, foi a testificação da veracidade da materialização de sua filha filha Heleninha, desencarnada aos três anos.

 

             

Francisco Peixoto Lins (Peixotinho)           Rafael Américo Ranieri

            

  De bicorporeidade: Os médiuns capazes de materializarem seu corpo perispirítico, fora do corpo físico.

 


  De transfiguração: Os médiuns aptos a promoverem transformações ou modificações temporárias em seu corpo físico através da vontade e do pensamento.

 

 

               

  

  

 

 

 

 

Não se precisa de faculdades mediúnicas para entendermos que

DISCIPLINA NÃO É AGRESSÃO.

É conquista e não imposição!

 

 

 

Escrito por corujart às 13h19
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

07/09/2012


NDM - 38

 

 

 

 

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 38

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

                               Em visitando este BLOG

 

                  Sempre que possível, deixem comentários.

 

 

 

 

Sugerimos apreciar sequenciadamente

à partir da postagem NDM-1.

 

 

 

Visitem também o BLOG:

 http://almaeespirito1.zip.net/ 

 Clique Neste Link

 

Mas não deixem de apreciar as 37 postagens abaixo.

 

 

 

 

 

                     Equipagem Mediúnica - VIII


 

 

Dos colaboradores da reunião mediúnica ( encarnados )

 

 

 

 Um assunto de extremada importância

 

 

 

-Médium Passista


Aplicabilidade do passe no transcurso de uma reunião mediúnica restrita.

 

O editorial de O Reformador, de 1992, esclarece que o Centro Espírita, entendido como  unidade fundamental do Movimento Espírita, "para bem atender às suas finalidades, deve ser núcleo de estudo, de Fraternidade, de oração e de trabalho, com base no Evangelho de Jesus, à luz da Doutrina Espírita". "Desviá-lo dessa diretriz é comprometer a causa a que se pretende servir." Sendo assim, a aplicação do passe deve guardar coerência com as orientações doutrinárias, fundamentadas na Codificação Kardequiana. É importante que os colaboradores, ligados a esse tipo de atividade, adquiram conhecimentos para saberem agir com acerto.

 


 

 

 

Ao se iniciar uma reunião mediúnica em uma casa espírita, o  estudo, a oração, a concentração, ... constituem recursos valiosos para vincular aqueles que se reunem, às Fontes Superiores da Vida. Normalmente, precedendo o momento do intercâmbio, são realizadas leituras e feitos comentários espíritas, que predispõem todos à harmonia indispensável ao êxito do empreendimento mediúnico. Desse modo torna-se perfeitamente dispensável a terapia do passe.

O passe pode, entretanto, ser considerado necessário durante a manifestação de entidades espirituais portadoras de necessidades especiais, como por exemplo, os obcessores ferrenhos, os suicidas, os alienados mentais ou os que revelam possuir graves lesões perispirituais. Uma vez que o serviço de desobsessão pede energias de todos os presentes, os instrutores espirituais estão prontos a repor os dispêndios de força havidos, através dos instrumentos do auxílio magnético que se dispõem  a serví-los sem ruídos desnecessários, de modo a não quebrarem a paz e a respeitabilidade do recinto e a não favorecerem caprichos e indisciplinas.

 



 

 

Os médiuns em transe, só deverão receber passe, quando se encontrem sob ação perturbadora de entidades em desequilíbrio, cujas emanações psíquicas possam afetar-lhes os delicados equipamentos perispirituais. Notando-se que o médium apresenta estertores, asfixia, angústia acentuada durante o intercâmbio, como decorrência de intoxicações pelas emanações perniciosas do comunicante, é de bom alvitre que seja aplicada a terapia do passe, que alcançará também o desencarnado, diminuindo-lhe as manifestações enfermiças. Os passistas numa reunião mediúnica, sempre devem quando solicitados pelo encarregado desta especificidade, estarem preparados para o cometimento e sempre vigilantes para auxiliar.


 

Observamos que o passe em uma reunião mediúnica, é uma forma de doar fluidos salutares ao Espírito sofredor comunicante, auxiliando-o na recuperação ou no equilíbrio do seu estado mental e emocional. Tem o poder de também auxiliar o médium durante a comunicação mediúnica, de forma que os fluidos deletérios sejam dissipados e não atinjam diretamente o equilíbrio somático do medianeiro. Naturalmente, não é uma conduta obrigatória, uma vez que o médium harmonizado com o Plano Espiritual superior encontra recursos necessários para não se deixar influenciar pelas ações, emoções ou sentimentos do sofredor que lhe utiliza as faculdades psíquicas para manifestar-se.


 

 

 

Além do que já nos reportamos acima, colocamos neste item, outras considerações adicionais:

 


     - O passe tem um papel relevante nas reuniões mediúnicas, mas deve ser aplicado no momento próprio, não deve ser usado abusivamente.

   - Uma situação em que o passe é muito oportuno, ocorre no caso de Espíritos em alta dose de sofrimento e aflição, ao ponto de não conseguirem se expressar ou fazê-lo com enorme dificuldade.

     - Também nas situações de lesões perispiríticas, como aleijões, mutilações, paralisias, mudez, etc.

    - Do mesmo modo, em situações de extrema agitação e zooantropia. Nestes casos, deve o passe ser acompanhado paralelamente por uma prece.

     - Pode ser aplicado para levar o Espírito comunicante à sonolência posteriormente entregando-o à direção e tratamento dos Instrutores Espirituais.

     - Contribuir para dissolver no Espírito comunicante, uma ação hipnótica qualquer, provocada por Espíritos que o dominam.

     - Desintegrar apetrechos fluídicos, como capacetes, aparelhos colocados no cérebro do comunicante, couraças, armas e objetos vários.

     - Facilitar regressão de memória que deve ser preferencialmente espontânea.

     - Facilitar a incorporação, no caso de se verificar que realmente está ocorrendo uma dificuldade.

     - Atender a um médium psiciofônico em estado de exaustão.

     - Em alguns grupamentos, observamos que aplica-se o passe no médium mediunizado, durante um tempo excessivo, havendo casos em que a aplicação do passe, ocorre durante todo o tempo da comunicação. Entendemos ser isso desnecessário, lembrando novamente que o passe deve ser aplicado com a devida prudência, não abusiva e indiscriminadamente. Está faltando instrução, está faltando estudo!


 

 

 

 

 

          

 

        O Maior Passista de Todos os Tempos

 


 

Escrito por corujart às 20h31
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

27/08/2012


NDM - 37

 

 

 

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 37

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

                               Em visitando este BLOG

 

                  Sempre que possível, deixem comentários.

 

 

 

 

Sugerimos apreciar sequenciadamente

à partir da postagem NDM-1.

 

 

 

Visitem também o BLOG:

 http://almaeespirito1.zip.net/ 

 Clique Neste Link

 

Mas não deixem de apreciar as 36 postagens abaixo.

 

 

 

 

 

 

                     Equipagem Mediúnica - VII


 

 

Dos colaboradores da reunião mediúnica ( encarnados )

 

 

 

 Um assunto de extremada importância

 

 

 

-Médium Psicógrafo


Também denominado médium escrevente. De todos os meios de comunicação utilizados pelos espíritos, é a psicografia, a mais simples, a mais completa, e a mais comoda.

Uma vez escrita, a mensagem não tem como ser alterada, não fica na dependência da memória ou da interpretação dos participantes da reunião, acontecida.

A análise e a crítica das mensagens se torna mais fácil permitindo o acesso quantas vezes se quizer e por quem quizer, há a possibilidade do estudo da mensagem seja quanto ao conteúdo, ao estilo, às idéias e favorecendo comparações com outras ditadas anteriormente pelo mesmo Espírito.

 

Psicografia mecânica  semi-mecânica e intuitiva:

 

O Mentor Espiritual responsável pelo fenômeno da psicografia, aproxima-se do médium e aplica forças magnéticas, direcionadas ao chacra coronário deste médium, visando a ativação da glândila pineal para a produção de anestésicos fisiológicos, dentre eles a melatonina, que atuando nos neuronios, se direciona para uma área do cortex cerebral, responsável pela coordenação motora, sedando-a.

 

  

 



Área motora ou dos movimentos coordenados no cérebro humano



Assim, o médium perde o comando desta área responsável pela escrita, permitindo que outro Espírito se ligue a este sistema sensório e o utilize.

Numa reunião bem assistida, isto se dá, quando após a área estando sedada, os Espíritos auxiliares, aproximam o Espírito que irá se manifestar pela psicografia e fazem a ligação perispiritual aos órgãos sensórios dos movimentos dos braços do médium, o que ocorre através do chacra Umeral cujo formato é de uma lemniscata ou oito deitado e se situa aproximadamente de 5 a 10cm do corpo físico, e que é ligado ao corpo físico, através do plexo solar e deste para os membros superiores ou braços do médium.

 

  

Na psicografia mecânica, ocorre a sedação total da área responsável pela escrita, no cortex cerebral do médium.

( O médium não se lembra do que escreveu )

 

   

Na psicografia semi-mecânica, ocorre a sedação parcial da área responsável pela escrita, no cortex cerebral do médium.

( O médium se lembra fragmentariamente do que escreveu )

 

O Espírito comunicante apossa-se temporariamente dos ganglios nervosos à altura da omoplata do médium e do seu mundo sensório, conseguindo assim se expressar através da escrita.

 

Há a psicografia intuitiva, onde o Espírito comunicante, atua não na mão do médium, mas na sua alma, identificando-se com ela ou seja com o médium encarnado, imprimindo-lhe suas vontades e suas idéias, as quais serão grafadas ou não, pela vontade do médium.

Deixamos aqui frisado ,"O ESPELHAMENTO", porisso o médium deve empenhar-se em instruir-se, moralizar-se, e exemplificar, para que seja no caso de Espíritos Superiores a manifestarem-se, um bom instrumento. Em caso de Espíritos outros, que seja seu primeiro enfermeiro.

 

 

Na psicografia intuitiva,  não ocorre  sedação da área responsável pela escrita, no cortex cerebral do médium.

( O médium se lembra completamente do que escreveu )

 

 

  

 

 

 

                       

Última psicografia vertida pela mão de Chico, foi para consolar

um coração de mãe.

 

 

 

Escrito por corujart às 16h23
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

31/07/2012


NDM - 36

 

 

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 36

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

                               Em visitando este BLOG

 

                  Sempre que possível, deixem comentários.

 

 

 

 

Sugerimos apreciar sequenciadamente

à partir da postagem NDM-1.

 

 

 

Visitem também o BLOG:

 http://almaeespirito1.zip.net/ 

 Clique Neste Link

 

Mas não deixem de apreciar as 35 postagens abaixo.

 

 

 

 

 

 

                     Equipagem Mediúnica - VI

 

 

Dos colaboradores da reunião mediúnica ( encarnados )

 

 

 

 Um assunto de extremada importância

 

 

-Médium Esclarecedor

 

 

Para a prática do diálogo com os Espíritos, só devem fazê-lo, médiuns com um perfil adequado, que demonstrem conhecimento, segurança, amor ao semelhante, compromisso com a Doutrina Espírita e com o Cristo.

 

Para que compreendamos isto, basta estarmos atentos ao conceito do Espírito Emmanuel no livro O Consolador: "Ha grande diversidade entre doutrinar e evangelizar. Para doutrinar, basta o conhecimento intelectual do Espiritismo; para evangelizar é nescessário a luz do amor no íntimo. Na primeira, bastarão a leitura e o conhecimento; na segunda é preciso vibrar e sentir com o Cristo".

 

 

       

 

O médium esclarecedor, como membro de uma equipe mediúnica, é o responsável encarnado, pelo diálogo com os Espíritos e com a incumbencia de ser instrumento ativo no processo de educação dos médiuns no seu conjunto e dos médiuns incipientes, haverá de estar plenamente integrado nas atividades da instituição, além de pertencer a pelo menos uma tarefa de assistência social.

 

Como esclarecedor, não pode ignorar que médium não é um instrumento de precisão como uma máquina industrial que funciona de maneira previsível e controlável. O médium é um ser humano ultra sensível, de psicologia complexa, incumbido de transmitir o pensamento de um manifestante, mas está longe de ser um mero aparelho de comunicação, como um telefone ou um fax, muito embora se fale em ondas, sintonia, interferências e vibrações quando a ele nos referimos.

são válidos para o esclarecedor os mesmos requisitos e qualidades, com indicação para o coordenador mediúnico.

 

Geralmente o esclarecedor enfrenta algumas dificuldades no decurso de uma reunião mediúnica.


-Via de regra ele não vê a Entidade Comunicante, no entanto, pode pressenti-la.


-Costumeiramente, ele não conhece o seu interlocutor e nem sabe de onde e a que veio, contudo não lhe é difícil oferecer-se como irmão pronto a ouvir-lhe a intimidade.


-Não disporá de muito tempo para estabelecer diagnóstico preciso e penetrar no mundo afetivo do manifestante, no entanto, poderá ofertar paciência, boa escuta e compreensão ao seu interlocutor, nem sempre em dia com a própria memória.


-Perceberá a manifestação truncada ou parcialmente alterada por fatores exógenos, mas nem por isto se afastará da linha de equilíbrio, disciplinando impulsos, reorganizando a fala e expressando com inexedível intensidade o sentimento do amor na direção daqueles envolvidos na fenomenologia mediúnica.


-Poderá estar lidando com médiuns novatos em processo de educação mediúnica, vacilantes por vezes na compreensão do fenômeno e apreendendo ainda a ofertar o próprio corpo na simbiose mediúnica, o que exigirá de sua parte, paciência, tato psicológico, fala absolutamente essencial e compreensão imensa diante das dificuldades e limitações do sensitivo em fase de adestramento ou modificação de viciosidades adquiridas por falta de conhecimentos doutrinário, embasados numa adequada e correta instrução.


-Diante de situações onde o médium incipiente não consegue expor as idéias com clareza, ou interrompe a manifestação, acusando inércia na fala, ou vacilação na captação das idéias provenientes do Espírito comunicante, ele não se precipitará, sabendo agir, sem constranger ou intranquilizar o aparelho mediúnico no esforço do intercâmbio com o mundo espiritual.


-Quando não age assim, deixa de contribuir com o sensitivo na questão de minimizar sua carga anímica no esforço mediúnico, deixando de oferecer no tempo apropriado a compreensão, a sutileza psicológica e a percepção das naturais limitações de quem lida ainda num terreno desconhecido e pleno de surpresas.


-Para o cumprimento da sua tarefa de esclarecimento dos Espíritos e educação dos médiuns, ele falará menos, bem menos, ensejando ao Espírito falar mais e para cumprir esta disposição terá tato psicológico para desinibir o Espírito manifestante e o médium. Sua fala e intervenções terão o caráter da essencialidade.


-A aplicação de técnicas repetitivas no diálogo, tendem a criar condicionamentos nos médiuns. Cada Espírito manifestante tem as suas peculiaridades e manias, o que enseja ao responsável pela conversação, percorrer sempre caminhos diferenciados, fugindo da mesmice, da monotonia e dos mesmos recursos dialéticos.


-Estará colaborando no processo de formação e qualificação de médiuns, exigindo de sua parte: paciência com as limitações e dificuldades do sensitivo; conduta amadurecida diante do batimento de pés, de mãos, ou outros movimentos bruscos, próprios de quem ainda não está no controle de suas faculdades medianímicas; postura igualitária diante de todos os médiuns em adestramento, sem discriminar, favorecer ou recriminar quem quer que seja.


 

 

  

 

Obsessão, idéias obsidentes, monoideísmo, adrenalina,

rebeldias inconsequentes... ?

 

 

         

 

A eficácia de uma prece, movimenta Hostes Espirituais Socorristas. Acredite!

 

"_Não faça isto meu filho, dê tempo ao tempo;

Deus providenciará outros recursos!"

 

Pôde-se atender um apelo de mãe..., esclarecer alguns dos encarnados e desencarnados que gravitam-nos a  esfera mental..., mas... nem todos tem a mesma oportunidade, entendimento e/ou merecimento!

Não complique a vida que jamais termina com a morte da carne, e atente que atitudes extremas não solucionam os problemas  os quais pensamos findar com ações insanas; seguirão piorados para que tenham uma solução, porém mais dificultada em outra ou outras vidas. Ainda, o espaço entre tais atos e a nova oportunidade para reparos, é bastante sofrida e, não sabemos quanto tempo a nescessidade da permanencia neste interregno. Pense um pouco mais! Reflita!


Emmanuel, experimentado Mentor Espiritual  já nos adverte:

"...gostaria que de cada um de vós, antes de qualquer ação a realizar, houvesse pelo menos UMA REFLEXÃO."


 

Escrito por corujart às 11h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

27/06/2012


NDM - 35

 

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 35

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

                               Em visitando este BLOG

 

                  Sempre que possível, deixem comentários.

 

 

 

Sugerimos apreciar sequenciadamente

à partir da postagem NDM-1.

 

 

 

Visitem também o BLOG:

 http://almaeespirito1.zip.net/ 

 Clique Neste Link

 

Mas não deixem de apreciar as 34 postagens abaixo.

 

 

 

 

 

 

 

                     Equipagem Mediúnica - V

 

 

Dos colaboradores da reunião mediúnica ( encarnados )

 

 

 

 Um assunto de extremada importância

 

 

-Médium Psicofônico

 


Os médiuns falantes ou psicofônicos, transmitem pela palavra falada, a comunicação de um Espírito.

a psicofonia, é a forma mais acolhedora e acessível para a manifestação objetiva dos Espíritos no plano material.

É  das várias formas de mediunidade a mais comum no intercâmbio mediúnico e, é frequentemente chamada de "incorporação.

Esclarecemos aqui, que este termo pode sugerir uma falsa idéia de que o Espírito comunicante penetra no corpo do médium, o que na verdade não acontece.

O Espírito comunicante se faz perceber pela voz do médium, utilizando-lhe o aparelho fonador, processo que se dá por uma das três formas a seguir;

 

 

           

 

                                    -Consciente:

O Espírito comunicante, transmite telepaticamente, às vezes de grandes distâncias, as suas idéias ao médiun, que as retrata aos demais ouvintes, com as suas próprias expressões.Na psicofonia consciente, há uma exteriorização do Espírito do médium apenas alguns centimetros. Ou o  Espírito comunicante se aproxima do médium, sem manter contato perispirítico e transmite telepaticamente as idéias que deseja enunciar. O Espírito transmite o pensamento e influi sobre o aprelho fonador do médium, que transmite as idéias conforme as entende e usando seu próprio estilo, vocabulário e construção de frases, ou seja; a idéia é do Espírito comunicante, mas o jeito de falar é do médium. O médium sente a influencia e capta o pensamento do Espírito comunicante na origem, antes de falar. desta forma, pode avaliar antes da manifestação, tendo fácil controle do fenomeno. é a mediunidade dos tribunos, oradores e pregadores, que manifestam a inspiração momentânea.

 

 

         


                                    -Semi-consciente:

Estabelecida a sintonia ou o equilíbrio vibratório, o Espírito comunicante, através do perispírito do médiun,entra em contato com este, passando a tuar sobre o campo da fala e outros centros motores do médium.

Há um afastamento, porém não acentuado do Espírito do médium, e este não perde a consciência ou o conhecimento do que se passa. sujeita-se espontaneamente à influência do Espírito comunicante mas o controla devidamente, podendo reagir a qualquer momento à essa influência, pela sua própria vontade. O Espírito comunicante neste quadro, pode expressar as suas idéias com mais fidelidade do que no quadro anterior.

 

         


                                    -Inconsciente:

Também denominada de psicofonia sonambúlica, e se processa com o afastamento do Espírito do médium, de seu próprio corpo. O comunicante utiliza-se mais livremente dos implementos físicos do medianeiro, pelo que a sua comunicação é mais fiel e isenta de interpretações por parte do médium. É comum neste caso, o Espírito comunicante, observada a afinidade, retratar com maior ou menor nitidez, o seu tom de voz, as maneiras e até mesmo seu aspecto físico característico. Se o comunicante é um Epírito de inteira confiança do médium, este se afasta, tranquilamente cedendo-lhe o campo somático, como quem entrega um instrumento valioso às mãos de um artista emérito  que o valoriza. Quando, no entanto, o irmão que se manifesta se entrega à rebeldia ou perversidade, o médium, embora afastado do corpo, age na condição de um enfermeiro vigilante que cuida do doente nescessitado. Esse controle é pacífico, pois que toda mente superior, subordina aquelas que se lhes situam na retaguarda nos domínios dos Espíritos. Quando se trata de uma entidade intelectualmente superior ao médium, porém degenerada ou perversa, a fiscalização corre por conta dos mentores Espirituais do trabalho mediúnico em andamento. Se a psicofonia inconsciente ou sonambúlica se manifesta por um médium desequilibrado, sem méritos morais, ou irresponsável, pode conduzí-lo a subjugação, possessão, sempre nociva e que por isso, apenas se evidencia integral nos obsessos que se renderam às forças vampirizantes.

 

 

 

Relembrando matéria NDM-27 Estudo sequenciado Parte 27 deste Blog

 

 

Chacra Laríngeo : 

Localizado aproximadamente na parte correspondente à Tireóide, controlando certas glândulas do corpo físico e atuando diretamente nos mecanismos da voz. Importante centro psicofônico, principalmente da psicofonia incosciente ou sonambúlica, quando o Espírito comunicante consegue transmitir a sua própria tonalidade de voz, sotaques ou mesmo sua linguagem própria, quando nos fenômenos mediúnicos.

 

        

Projeto de pesquisa conduzido na Universidade de Estocolmo, registrando imagem de RX de pessoa exercitando maxilar, mandíbula, faringe, laringe, assoalho da boca, músculos do pescoço, língua e lábios na emissão de voz.

 

      

                        Tireóide - Chacra Laríngeo - Psicofonia

 

 

" É justo e oportuno recordemos a apresentação feita pelo assistente Áulus, dos companheiros que com Raul Silva, integram o núcleo de serviços Cristãos."

Eugênia, Anélio, Antonio Castro e Celina: companheiros respeitáveis pela abnegação e pelo espírito de sacrifício.

 

 

 

Observamos que Hilário, questiona ao assistente Áulus, se seria justo, os campos mentais de tais companheiros encarnados, especialmente o campo mental da irmã Celina, ser invadido por Espíritos menos esclarecidos.

 

 

Na psicofonia assistida, ou em médiuns com merecimento ou conquistas, o Mentor Espiritual ou um outro Espírito Auxiliador designado por ele, faz o isolamento parcial ou total do cortex cerebral do médium, por meio de forças magnéticas que sensibilizam a glandula Pineal, fazendo-a produzir substancias anestésicas, direcionando-as para a parte responsável pela fala, que vai ficar parcialmente sedada na psicofonia semi consciente, ou completamente sedada, na psicofonia inconsciente.

 

    

 

 

Assim, o médium perde parcialmente ou totalmente o comando sobre os órgãos da fala, permitindo que outro Espírito seja ligado a este sistema sensitivo e o utilize.

 

 

Uma observação:


Quando o médium é inconsciente, os Espíritos Auxiliadores, aproximam o Espírito que irá se manifestar pela psicofonia, e fazem a ligação pelo chacra laríngeo. Portanto inexiste ligação entre o cérebro do médium e a mente do Espírito manifestante e, mesmo entre a mente perispiritual do médium com o seu próprio cérebro físico.

Quando o médium é semi consciente, a ligação é feita através do chacra frontal, e por isso o médium tem alguma consciencia do que está falando.

 

Assim, bem educado, moralizado e assistido,  o médium não terá seu campo mental "invadido", não absorvendo efeitos deletéreos posteriores à passividade.

 

  

 

 

 

  

 

Somos os próprios ártifices do nosso holocausto ou da nossa apoteose.

Vejamos Judas; 3 anos de ensinamento com Jesus e realizou o auto-extermínio após  a delação.

De nada nos adianta somemte a instrução, é preciso a aplicabilidade a experimentação desta instrução, da qual Jesus é o Mestre Maior!


 

Escrito por corujart às 20h45
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

25/05/2012


NDM - 34

 

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 34

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

                               Em visitando este BLOG

 

                  Sempre que possível, deixem comentários.

 

 

 

 

Sugerimos apreciar sequenciadamente

à partir da postagem NDM-1.

 

 

 

Visitem também o BLOG:

 http://almaeespirito1.zip.net/ 

 Clique Neste Link

 

Mas não deixem de apreciar as 33 postagens abaixo.

 

 

 

 

 

 

 

 

                     Equipagem Mediúnica - IV

 

 

Do dirigente de reunião mediúnica ( encarnado )

 

 

 

 Um assunto de extremada importância

 

                 

 

 

Segundo as elucidações do Espírito Emmanuel:

 

"O médiun tem a obrigação de estudar muito. Observar intensamente e trabalhar em todos os instantes pela sua própria iluminação. Somente desse modo poderá habilitar-se para o desempenho da tarefa que lhe foi confiada, cooperando eficazmente com os Espíritos sinceros e devotados ao bem e à verdade."

 

Qualquer que seja o caráter de uma reunião mediúnica, haverá sempre Espíritos dispostos a secundar as tendências dos que a componham. A influência do meio, assim como a influência moral dos participantes, garantem ou não, a seriedade de uma reunião mediúnica.

 

Martins Peralva, no livro Estudando a mediunidade, nos alerta que : "...Espíritos menos esclarecidos encontrarão sempre fácil acesso, em grupos não afeitos ao estudo e sem coesão como que varas desatadas do feixe e não tendo por exemplo maior; Jesus.  Eis que a prática mediúnica, sem Evangelho sentido e vivido, e sem Doutrina estudada e compreendida, constitui porta aberta à infiltração dos desencarnados ainda não felicitados pela luz do esclarecimento."

 

 

          

 

Assim temos notícias de que irmãos desencarnados e mancomunados com o mal, ardilosamente se postam como mentores espirituais de reuniões mediúnicas (lembramo-nos lamentavelmente de fato já acontecido em uma determinada casa espírita por período correspondente a duas décadas ou sejam 20 anos), sem que os encarnados partícipes da reunião percebessem tamanho engano.

 

"Todavia, uma outra verdade se patenteia. E essa verdade precisa de ser focalizada, como advertência fraterna e em nome do imenso amor que consagramos à Doutrina Espírita."


"Os também chamados desmanchadores , encarnados de centros e de grupos espíritas!"

 

 

               

 


"São os dirigentes intratáveis e grosseiros, destituidos, completamente daquele senso psicológico indispensável a quem dirige e, acima de tudo, sem estar compromissado com a instrução a si, e aos demais componentes do grupo, e sem experienciar a  aplicabilidade destas instruções concernetes à doutrina dos Espíritos, sem possuir aquela abnegação pelo trabalho e sem aquela bondade sincera para com os companheiros que, na posição de médiuns, lhes compartilham as tarefas.

Há muitos dirigentes de centros ou mesmo simples cooperadores, que ajudam os Espíritos inferiores a encerrar-lhes as atividades ou então, a estacionarem pelo tempo afora, numa improdutividade que faz dó.

São aqueles que nunca têm uma palavra amiga, de reconforto e estímulo para os médiuns.

São aqueles que não possuem elementares recursos de paciência para com os sofredores ou endurecidos, trazidos, pelo devotamento dos guias, ao serviço de consolação ou esclarecimento segundo o caso.

São aqueles que, hiperbólicos e insofreaveis no seu entusiasmo, não sabem dosar a palavra incentivadora ao medianeiro iniciante, estiolando, pelo elogio indiscriminado e inconsequente, preciosas faculdades medianímicas.

São aqueles que mais se parecem com funcionários de cadastro das organizações do mundo. Indagam a todo custo e sem qualquer objetivo edificante, o nome do comunicante, onde nasceu, e em qual cartório será encontrado o registro do seu nascimento;em qual igreja poderá ser examinado o batistério...

São esses os desmanchadores encarnados que colaboram, por falta de compreensão dos deveres de fraternidade preceituados no Evangelho, com os desencarnados que, poderosamente organizados no Espaço, assediam os núcleos espíritas de esclarecimento."

 

 

    

 

Que tomem novo direcionamento, aqueles que dirigentes de casas espíritas e aqueles que dirigentes de reuniões espíritas, se impõem e se acham donos da situação, do ambiente, da verdade e da palavra final, fugidios que são da instrução e do Evangelho de Jesus.

 

 


 

 

 

             

 

Contudo... nenhuma ovelha se perderá.

É apenas questão de tempo de assimilação das Leis Perenes e Imutáveis!

 

Precisamos urgentemente sair da situação de filhos das trevas da ignorância de nós mesmos, de filhos do sofrimento em decorrência da escolha anterior e, nos posicionarmos pelo menos na condição de filhos da reflexão, para em seguida alavancarmos a vontade como seguidores dos exemplos de Jesus perseverando no bem e executando-o tornando-nos filhos da ação, para que reeducando-nos reconquistemos a posição de; Filhos de Deus, Filhos da Luz!

 

   

Escrito por corujart às 15h55
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

21/05/2012


NDM - 33

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

Estudo Sequenciado - Parte 33

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                     Equipagem Mediúnica - III

 

 

Do dirigente de reunião mediúnica ( encarnado )

 

"...O ascendente que o homem pode exercer sobre os Espíritos, está na razão da sua superioridade moral."

Allan Kardec

 

 

O dirigente da reunião é aquele que preside os trabalhos, encaminhando todo o seu desenrolar. É o responsável, no plano terrestre, pela reunião.

As características pessoais pertinentes àquele que dirige são de muita importância para todo o grupo.

 

Deve ser uma pessoa que conheça profundamente a Doutrina Espírita e, mais que isto, que viva os seus postulados, obtendo assim a autoridade moral imprescindível aos labores dessa ordem. Esta autoridade é fator primacial, pois uma reunião dirigida por quem não a possui será, evidentemente, ambiente propício aos Espíritos perturbadores.

 

Diz-nos Kardec, que a verdadeira superioridade é a moral e é esta que os Espíritos realmente respeitam. É ela que irá infundir nos integrantes da equipe a certeza de uma direção segura e equilibrada.

 

O dirigente precisa ser, pois alguém em quem o grupo confie, uma pessoa que represente para os encarnados a diretriz espiritual, aquela que na realidade sustenta e orienta tudo o que ocorre. Ele é o representante da direção existente na Espiritualidade, o pólo catalizador da confiança e da boa vontade de todos.

 

Ao dirigente cabe a tarefa de conscientizar a equipe, quanto à necessidade do entrosamento entre   cada um dos integrantes entre si, bem como o entrosamento de cada qual, com a Casa Espírita onde trabalha, para que o grupo não fique apartado das atividades da casa e, que não fiquem como que varas enfraquecidas por se separarem do feixe. Os grupos mediúnicos que funcionam completamente isolados da instituição em que se localizam, acabam por se tornarem departamentos estanques, ou outros Centros, com diretrizes e métodos diferentes, o que gera problemas e desentendimentos.

 

Deve zelar para que as normas da instituição, sejam respeitadas, possibilitando maior entrosamento entre todos.

 

Deve preparar pelo menos um companheiro para auxiliá-lo e substituí-lo em seus impedimentos.

 

Resumidamente; deve ser possuidor de autoridade fundamentada no exemplo; conhecimento do Espiritismo; fé; facilidade de se expressar; amor à tarefa e ao próximo; hábito de estudo constante e oração; delicadeza, calma, brandura, firmeza e precisão, sinceridade e entendimento, conversação construtiva, dignidade e respeito para com todos, afeição sem privilégios.

Não pode se esquecer de que a Espiritualidade Superior, espera nele o apoio fundamental da obra. Certo não se lhe exigirão qualidades superiores à do homem comum; no entanto o orientador encarnado da assistência aos desencarnados sofredores, precisa compreender que as suas funções, diante dos médiuns e frequentadores do grupo, são semelhantes às de um pai de família no instituto doméstico.

Dispensará a todos os componentes do conjunto, a atenção e o carinho idênticos àqueles que um professor reto e nobre cultiva perante seus alunos.

Na posição de médium esclarecedor mais responsável, designara dois ou três companheiros, sob a orientação dele própio a fim de que se lhe façam assessores em serviço e o substitua nos impedimentos justificados.

 

É imperioso, que todos os que compõem a equipagem mediúnica, entendam estas significativas apreciações no tocante aos requisitos que não podem estar ausentes naqueles que se dispuserem à trabalhos mediúnicos com Jesus.

 

 

 

 

O Assistente Aulus, detendo-se junto ao irmão Raul Silva, que dirige o núcleo com sincera devoção à fraternidade, apresentou-o a André Luiz e a Hilário, tecendo alguns comentários em torno da personalidade do diretor, encarnado, dos trabalhos.

"Correto no desempenho dos seus deveres e ardoroso na fé, consegue equilibrar o grupo na onda de compreensão e boa vontade, que lhe é característica. Pelo amor com que se desimcumbe da tarefa, é instrumento fiel dos benfeitores desencarnados, que lhe identificam na mente um espelho cristalino, retratando-lhes as instruções."

 

Enquanto a boa vontade e a correção, o estudo e o amor não forem primacialmente, a mola real de todos os grupos mediúnicos, os Espíritos menos esclarecidos encontrarão sempre fácil acesso, provocando confusões, desanimando uns, ou espalhando cizânia entre outros. E ninguém em sã consciência, negará a evidência desse assédio, conforme nos adverte um dos grandes nomes de expressão nas lides Espíritas Mineira; José Martins Peralva.

 


   

                        José Martins Peralva Sobrinho (1918-2007)

 

 

Efetivamente...,  Peralva nos fala: ...estes Espíritos, desmanchando muitos centros, fechando portas ao verdadeiro esclarecimento, obterão êxito em sua obra desagregadora, até que se dê a tais atividades, em toda a sua plenitude, o sentido e a feição superiores por que se bate o Espiritismo Cristão, através das bem orientadas instituições.


Contribui em muito para essa confusão, desânimo, cizânia e desagaregação; a ausência de conhecimento do grupamento mediúnico, relativamente à fisiologia da mediunidade,  e principalmente do dirigente encarnado, embasando as suas opiniões e decisões fora do que orienta a Doutrina Espírita, estudada e compreendida à Luz do Evangelho. 


 

 

 

 

 

 

No transcurso das reuniões... "não se esqueça de que toda visita espiritual é muito importante, recordando que no socorro prestado por nós a quem sofre, estamos recebendo da vida o socorro que nos é necessário, a erguer-se em nós por ensinamento valioso, que devemos assimilar, na regeneração ou na elevação de nosso próprio destino." 

André Luiz

 

 

 

 

Escrito por corujart às 19h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

13/04/2012


NDM - 32

 

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

 

 

Estudo Sequenciado - Parte 32

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

                             

 

 

                     Equipagem Mediúnica - II

 



Conhecemos a nossa equipagem mediúnica __ disse o orientador.

 


"Equipagem mediúnica", tendo ao centro, psicografando;

Francisco Cândido Xavier

 

 

Os elementos que compõem a "equipagem mediúnica", constante no capítulo 3 do livro Nos Domínios da Mediunidade, em número de dez - quatro irmãs e seis irmãos, encarnados - guardam todos eles, no íntimo, elevada noção de responsabilidade quanto à nobreza da tarefa que em conjunto, levam a efeito.

 

As palavras de apresentação que o Assistente Aulus, forneceu a André Luiz e a Hilário, ensejam significativas apreciações no tocante a determinados requisitos que não podem estar ausentes daqueles que se dispõem... aos trabalhos mediúnicos.

 

                 

Dedicação e amor ao trabalho proposto:

Assistência Espiritual Superior


                    

 

É Jesus conosco, proporcionando-nos a repartir o pão em mais pedaços

 

 

 

Por analogia entre uma "equipe cirúrgica" e uma "equipe mediúnica", a grosso modo teremos:


-A cirurgia, é um trabalho em equipe.

-A prática mediúnica, sendo a cirurgia moral -em nós- das mais importantes, constitui-se também de um trabalho em equipe.

 

-Em toda equipe, há membros.

-A equipe mediúnica, constitui-se de Espíritos encarnados, assistidos por Espíritos desencarnados de diapasão superior e, se propõem ambos, a atender "pacientes" encarnados e desencarnados tendo em mente sempre na lembrança as palavras de Emmanuel:

 

"Os médiuns, em sua generalidade, não são missionários na acepção comum do termo; são almas que fracassaram desastradamente, que contrariaram, sobremaneira, o curso das leis divinas e que resgatam, sob o peso de severos compromissos e ilimitadas responsabilidades, o passado obscuro e delituoso. O seu pretérito, muitas vezes, se encontra enodoado de graves deslizes e erros clamorosos."

 

-Tem que haver um funcionamento harmônico.

Nos encargos de aprendizes, ainda nos encontramos muito longe de terminar a lição. Esforcemo-nos portanto no sentido de realizar a humildade e o espírito de serviço, em benefício da nossa paz, porque, em verdade, nehum de nós venceu, ainda a si mesmo. Temos a orientação de que para sermos harmônicos, será preciso exercitar para aprender a pulsar o nosso coração sincronicamente com as pulsaçãoes do Universo, pois que só a harmonia conduz ao equilíbrio.

 

-A hierarquia , a ordem e o respeito, são pontos fundamentais a serem seguidos.

Quando o médium guarda a noção de fragilidade e pequenez, pela convicção de que é uma alma em processo de redenção e aperfeiçoamento, pelo trabalho e pelo estudo, está se preparando, com segurança para o triunfo nas lides do Espírito Eterno. entretanto, quando começa a pensar que é um missionário, um privilegiado dos Céus e que os próprios Espíritos Superiores se sentem honrados e distinguidos por assisti-lo, é , sem dúvida um companheiro em perigo. É um forte candidato à obsessão e ao fracasso.

 

-Uma Equipe Cirúrgica por simples que seja, compõe-se de:


        -Um cirurgião chefe,

        -um cirurgião assitente ou segundo cirurgião,

        -um anestesista, 

        -um instrumentador,

        -um circulante de sala e,

        -um segundo circulante.

 

 

-Uma Equipagem Mediúnica por simples que seja, compõe-se de:

Encarnados prontificados (no mínimo com instruçao e amor) , colaborando como medianeiros na disseminação do bem com Jesus e supervisionados por um mentor espiritual designado àquele labor.

 

         Encarnados: (que nunca excederão o número de quatorze)

                                        

        -Um dirigente de reunião,

        -um dirigente assitente ou segundo dirigente,

        -um dialogador, 

        -um dialogador assistente ou 2º dialogador,

        -um médium psicofônico,

        -um segundo ......

 

 

    "Equipagem mediúnica" ( médiuns encarnados )

 

 

-Uma Assistência Espiritual Mediúnica por simples que seja, compõe-se de:

Espíritos desencarnados prontificados (na experiência, na instruçao e no amor) , colaborando com encarnados e desencarnados, na disseminação do bem com Jesus e supervisionados e amparados por outro grupo espiritual também por sua vez ligados à outros grupos espirituais de acordo com cada nescessidade dos envolvidos bem como não ultrapassando aos níveis de merecimento do grupo tomado por base.

.

 

         Desencarnados:

                                        

        -Um dirigente ou mentor Espiritual da reunião,

        -Espíritos cooperadores da reunião,

        -Espíritos sofredores ou endurecidos direcionados a tal reunião,

 

  

A conquista e a permanência dos colaboradores espirituais da Seara do Divino Mestre, em qualquer reunião mediúnica, depende principalmente da seriedade, da instrução e  da vivência no amor fraternal da "equipagem mediúnica". Portanto pertinente ao merecimento dos médiuns encarnados que compõem esta equipagem.

 

   

Recurso para arrefecer corações endurecidos

 

Desenvolvimento mediúnico, não se trata como muitos apregoam; estar participando  ou facilitar alguém a participar de uma "mesa mediúnica", mas a cada um de nós, médiuns ostensivos ou não, a diuturnamente estar a realizar em nós próprios, verdadeira cirurgia moral.

 

"Tenho vos dado o exemplo, para que como Eu o fiz, assim cada um de vós o façais."

(Jesus)

 

 

 

 

 

           

 

 

Escrito por corujart às 13h13
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

30/03/2012


NDM - 31

 

 Estudos da D. E.

 

Nos Domínios da Mediunidade

 

 

 

Estudo Sequenciado - Parte 31

              Renato Gomes de Oliveira

 

 

 

 

 

Metafísica:

Ciência do supra sensível.

Parte da filosofia que estuda a essência dos seres.

Inventário sistemático de todos os conhecimentos provinientes da razão pura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                      Equipagem Mediúnica - I

 

 

Os estudos de André Luiz e do seu companheiro Hilário, antigos médicos na Terra, na última encarnação, sob a supervisão do Assistente Aulus, verificam-se em vários grupos de atividade mediúnica, efetivando-se as instrutivas e fundamentais observações.



                 equipagem não quer dizer ordinariamente equipamentos

 

 

No livro Desobsessão, André Luiz Espírito, pela equipagem Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira, então encarnados, nos traz preciosidades e mesmo que não queiramos, ao lê-las, o nosso pensamento leva-nos a ter como parâmetro algumas práticas do exercício da medicina, como por exemplo a cirurgia e o Centro-cirúrgico, considerado uma das unidades mais complexas em um hospital, devido a sua especificidade, presença de agentes estressores, devido às possibilidades de risco à saúde a que os pacientes estão sujeitos ao serem submetidos à intervenção cirúrgica.


-A cirurgia, é um trabalho em equipe.

-Em toda equipe, há membros.

-Tem que haver um funcionamento harmônico.

-A hierarquia , a ordem e o respeito, são pontos fundamentais a serem seguidos.

-Uma Equipe Cirúrgica por simples que seja, compõe-se de:


        -Um cirurgião chefe,

        -um cirurgião assitente ou segundo cirurgião,

        -um anestesista, 

        -um instrumentador,

        -um circulante de sala e,

        -um segundo circulante.

 

  



O cirurgião chefe precisa:  primeiramente ter instrução, conhecimento, cultura, sem o que nada faz. Seguidamente vocação,  serenidade, equilíbrio emocional, habilidade, segurança, iniciativa, responsabilidade do ato cirúrgico, comando firme mas natural, simpatia, carisma, humildade para reconhecer erros e aceitar sugestões, ser mantenedor da ordem, da disciplina e da harmonia, ter calma, tranquilidade, ser ao mesmo tempo agil de cabeça, mão e coração, operar com técnicas rigorosas, ser preciso no pedido de instrumentos, estender a mão para receber as solicitações, respeitar os demais membros da equipe, evitando palavras e atos ofensivos ou intempestivos, devolver instrumentos ao instrumentador, assumir a responsabilidade total do ato operatório tanto quanto ter autoridade amáxima neste ato, ter suas solicitações acatadas, colaborar eficientemente durante a operação, respeitar horário, etc. pois que é o responsável pela vida do paciente e tem sob sua responsabilidade não somente o ato cirúrgico, mas também toda a equipe pela qual responde.

 

O assistente ou segundo cirurgião: é o responsável pela ajuda ao cirurgião chefe, e deve ter um grande conhecimento da cirurgia a ser executada. Deve ser capaz de antecipar os tempos cirúrgicos e de substituir o cirurgião chefe em seus impedimentos. Tem como certas obrigações, controlar hemorragias, ajudar na exposição do campo cirúrgico, fazer ligaduras, sem a solicitação do cirurgião chefe.

 

O instrumentador: Manter o instrumental limpo, ordenar o instrumental na mesa cirúrgica prontos para atender ao pedido dos cirurgiões, antecipar os movimentos do cirurgião e assistente, alcançando e disponibilizando  o material mesmo sem solicitação, separar o material contaminado, preparar e montar o arsenal de sutura, fazer a limpeza após a cirurgia, dentre outras atribuições.

 

O anestesista: Tem por responsabilidade promover analgesia e manter os parâmetros fisiológicos do paciente tais como  afunção cardíaca, a função respiratória, drogas e administração de fluidos intravenosos.

 

O circulante: Presta serviços de enfermagem, faz a preparação do local e do material que vai ser usado na cirurgia.
Durante a cirurgia, deve antecipar os acontecimentos e ter o material e instrumental pronto para uso como por exemplo; calhas, cordas, catéteres, desfibrilador, etc. Durante a cirurgia, não pode se afastar do local. Após a cirurgia terminar, deve ajudar na remoção do paciente e na limpeza da mesa e sala de cirurgia.

 

A Equipe: mesmas características principalmente morais e comportamentais do cirurgião, melhor forma de aprendizagem, saber obedecer e acatar autoridade dos que lhes são superiores, relação respeitosa com todos e ao paciente, promover tranquilidade e ambiente adequado em situações adversas, não ter responsabilidades gratúitas imputadas por complicações, conhecer instrumentos pelos nomes, vigilância sobre assepsia, guardar silêncio, compartilhar idéias, receber nas mãos instrumentos e medicações de maneira adequada e segura, conferir sempre. Saber ter atuação complementar, ter eficiência, prontidão e rapidez, manter sigilo profissional, respeitar pudor e intimidade do paciente, tratar a todos com cortesia, respeito, verdade e lealdade.

 



 

 

 

 

        

 

            Hino ao Irmão Joseph Gleber - no YOUTUBE

       Clicar no LINK http://youtu.be/5vrjd6xalC4

 

 

 

Escrito por corujart às 12h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Histórico